03 maio 2014

Gostaria de ser...



Hoje acordei
Sem vontade
De subir ao palco...
Gostaria de ser
A gaivota que voa
Bem alto
À procura de liberdade...
Ser uma onda do mar
Que se enrola
Na areia
Num abraço
Sem fim...
Ser o vento invisível
Soprando suavemente
Em cada rosto...
Ser o rio que corre
Sem parar
Por montes e vales...
Ou a montanha
Bem Alta
Que brinca
Nas nuvens...
Até ao pôr do sol
Que desaparece
De mansinho
Num lusco-fusco mágico
Que separa o dia da noite...

(Adaptação) 02-05-2014

(A minha versão do poema de: Fernanda Costa)


1 comentário:

  1. Arde em nós esse desejo de liberdade.

    Gostei da foto e do poema.
    bjs

    ResponderEliminar