22 maio 2014

ST

Vivo livremente
Presa à imensidão
Do meu silêncio.
Sou apenas
A sombra de mim
Que aos poucos
Se vai desvanecendo.

Céu Vieira – 20-05-2014

2 comentários:

  1. Uma esplêndida entrada para uns versos magníficos, Céu !

    Um bj e bfs.

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigada, amigo João Menéres.
    Um ab.

    ResponderEliminar